APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Adriana Franciosi

Adriana Franciosi

Uma das primeiras mulheres a trabalhar como fotógrafa no Rio Grande do Sul, foi repórter do jornal Correio do Povo e do Zero Hora. As imagens captadas na cobertura da enchente em Santa Catarina em 2008 estão na reportagem premiada pelo Prêmio Esso de Jornalismo 2009, na categoria Regional 2.

Adriana Franciosi nasceu no dia 9 de novembro, em Serafina Côrrea (RS). É formada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS).
 
Desde a faculdade, definiu como meta da carreira que trabalharia somente com Fotojornalismo. É uma das primeiras mulheres a atuar como repórter fotográfica no Rio Grande do Sul e no Brasil.  
 
Iniciou a carreira como fotógrafa no jornal O Nacional, de Passo Fundo (RS), transferindo-se mais tarde para o jornal Correio do Povo (RS), passando também pela agência Objetivapress (SP).
 
Entrou em 1991 no jornal Zero Hora (RS), sendo então a única mulher da equipe de Fotografia, formada por cerca de 20 profissionais. A entrada no impresso foi no fim da faculdade, por meio do curso de Jornalismo Aplicado, promovido pelo grupo RBS. Na época, eram disponibilizadas 30 vagas, parte para estudantes e outra para profissionais da empresa. Após uma série de testes, foi selecionada para o estágio e, ao término, convidada a permanecer.
 
Em abril de 2008, foi com o jornalista Moisés Mendes à Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro (RJ), confirmar o endereço de uma fonte para uma matéria qualquer. Enquanto Moisés conferia a informação, um menino passou pelo veículo em que estava e, armado, assassinou duas pessoas. Os disparos duraram o tempo suficiente para uma foto, que foi para a primeira página de Zero Hora e se tornou a principal prova para identificar e localizar o atirador.
 
Foi designada, com o colega Humberto Trezzi, em novembro de 2008, para auxiliar o Jornal de Santa Catarina, de Blumenau (SC) na cobertura da enchente no Estado. O trabalho da equipe envolvida, reunido na série de reportagens O maior desastre climático do Brasil, rendeu o Prêmio Esso de Jornalismo 2009, na categoria Regional 2.
 
Durante a edição do concurso The Best of Newspaper Design, realizado pela Society for News Design (SND), foi uma das premiadas com Reconhecimento de Excelência, na categoria Notícias, pela série A economia corroída pelo crime, publicada em setembro de 2007, ao lado do editor de Arte Leandro Maciel, do ilustrador Edu Oliveira, da designer Vanessa Cardoso, dos repórteres Mauro Graeff Júnior e Rodrigo Müzell, e dos fotógrafos Ronaldo Bernardi, Genaro Joner, Jefferson Botega e Arivaldo Chaves.  
 
Participou da equipe que trabalhou no suplemento Guia da Nova Mulher, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher 2008, editado por Patrícia Rocha e Tatiana Tavares, com reportagens de Fabiana Klein e Letícia Duarte e projeto gráfico de Carolina Ruwer. Além do caderno, participou do blog Toda Mulher, alocado no site do Zero Hora no portal clicRBS.
 
Fez parte da equipe do Grupo RBS que viajou à Guadalajara (México) para documentar a partida de futebol entre o Chivas e o Internacional, valendo pela final da Copa Libertadores da América, em agosto de 2010. Editou o Votoblog, blog do jornal que mostrou a campanha das Eleições 2010 por meio de fotos, apresentando os bastidores da cobertura e momentos marcantes do processo eleitoral em imagens. Foi madrinha do Concurso de Fotografia Aniversário de Porto Alegre, comemorativo aos 240 anos da capital gaúcha, promovido pela Fnac Porto Alegre e pela Câmera Viajante: Escola de Fotografia e Cinema.
 
Em agosto de 2012 teve a ideia de fotografar um jovem que se iniciava no mercado de trabalho sob uma projeção de cálculo do tempo que teria que trabalhar para obter a aposentadoria. O resultado foi tão bom que o editor Rodrigo Lopes decidiu que o Zero Hora iria às bancas sem título principal e com texto que diminuia aos poucos, não entregando tudo ao leitor na primeira página.
 
Lançou o livro Porto Alegre, Brasil (Dos Autores, 2012), juntamente com Leonid Streliaev, o Uda, e Liane Neves, que teve uma edição especial lançada em 2014, para aproveitar a Copa do Mundo de Futebol do Brasil.
 
Esteve em Santa Maria (RS) para cobrir as repercussões do incêndio na boate Kiss. Passou quatro dias praticamente sem dormir, cobrindo coletivas com autoridades, velórios e enterros, acompanhando de perto a dor das famílias envolvidas. Participou da cobertura e da subsequente Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), como testemunha, da invasão da Câmara de Porto Alegre por manifestantes do Movimento Bloco de Lutas em novembro de 2013. Testemunhou e fotografou a expulsão, com empurrões, do cinegrafista e da repórter da RBS TV do salão da Câmara, após tentativa de acompanhar os protestos.
 
Venceu, com o colega Jorge Leão, o Concurso Sioma Breitman de Fotografia 2013, na categoria Foto Digital, que tinha como tema Porto Alegre: Corpo e Alma da Cidade. Também conquistou o Prêmio de Jornalismo Público do Rio Grande do Sul (MP/RS) daquele ano, na categoria Fotojornalismo, com o trabalho Não lutamos por R$ 0,20, lutamos por dignidade. Não à PEC 37.
 
Foi uma das homenageadas durante o Canela Foto Workshops 2014, realizado na cidade de Canela (RS), com as colegas fotojornalistas Lisette Guerra, Eneida Serrano, Dulce Helfer, Ana Lucia Teixeira, Fernanda Chemale, Jaqueline Joner, Sandra Bordin, Rochele Costi, Eliane Heuser, Sandra Genro, Denise Helfeinstein, Roberta Borges e Miriam Fichtner, que tiveram expostos seus trabalhos na mostra Coletiva das Fotógrafas Gaúchas.
 
Ainda em 2014: participou, com Andréa Graiz e Carlos Macedo, da Mostra Rede Social, que comemorou o primero ano da coluna Rede Social, assinada pela jornalista Fernanda Pandolfi, no Zero Hora; recebeu Menção Honrosa no Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo, na categoria Online, pela matéria 50 anos do golpe militar: Apoio civil e resistência armada, com Juliana Bublitz, Carlos Rollsing, José Luís Costa, Letícia Coimbra, Marco Vencato, Luan Ott, Gilmar Fraga, Michel Fontes, Leandro Becker e Dione Kuhn.
 
Em maio de 2016, teve a foto Trânsito na BR-290, freeway, na saída para o feriadão escolhida para a mostra de Fotojornalismo, exposta no Instituto Ling, em Porto Alegre, que fez parte da celebração dos 52 anos de atuação do Zero Hora no mercado gaúcho da Comunicação.
 
Deixou o ZH em outubro de 1016, confessando que está aberta para uma nova paixão, a escrita: "Me aguardem", finalizou. 
 
 
Atualizado em outubro de 2016
 
Fonte:

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)