APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Ana Maria Bahiana

Ana Maria Bahiana

Jornalista, escritora, roteirista e palestrante, é, como gosta de dizer, uma observadora profissional da produção musical, cinematográfica e televisiva mundial. Mantém um blog no portal UOL Entretenimento

Ana Maria Pereira Bahiana nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 1950. É formada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ), na turma de 1972. Desde menina, enquanto batucava na máquina de escrever Remington do avô, dizia que queria ser jornalista.

Começou a carreira no ano da formatura, trabalhando como secretária de Redação da primeira edição brasileira da revista Rolling Stone, ao lado de Luís Carlos Maciel, Okky de Souza, Joel Macedo, Lapi e Ezequiel Neves (1935-2010). Especializou-se em Jornalismo Cultural, primeiro cobrindo a área musical, depois também a de cinema e televisão. Desde 1987, mora entre o Rio de Janeiro e Los Angeles, nos Estados Unidos, bem próximo dos estúdios de Hollywood, para onde foi como correspondente da então nascente revista Set, da Editora Abril.

Passou pela redação das revistas Bizz e Imprensa, bem como de alguns dos principais jornais brasileiros – Jornal do Brasil, O Globo, O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo –, mas também frequentou as páginas da chamada imprensa nanica, como Opinião e Jornal da Música. Trabalhou ainda para publicações estrangeiras, como as americanas New York Times Syndicate, Escape e Beat, a francesa Le Film Français e as australianas Follow Me, HQ e Cinema Papers. De 1992 a 1995, foi a chefe do escritório angelino da revista inglesa Screen International.

Sua atuação não se restringe à imprensa escrita. Atua também na tevê, rádio e em mídias digitais. Foi, de 1996 a 2002, representante, produtora, e correspondente das redes Telecine e Globo em Los Angeles e manteve o blog Hollywood Watch no portal Globo.com. Mantém o blog Hollywoodianas, alocado no portal UOL desde setembro de 2010. Colabora também com o site de viagens americano Indagare.com.

Publicou os livros Janela (Pongetti, 1966), Nada Será Como Antes – MPB nos Anos 70 (Civilização Brasileira, 1980), Anos 70 (Funarte, 1979), Jimi Hendrix: Domador de Raios (Brasiliense, 1980), América de A a Z - Quase tudo o que você precisa saber para sobreviver ao sonho americano (Objetiva, 1994), A Luz da Lente: Conversas com 12 cineastas contemporâneos (Globo, 1995), Almanaque Anos 70: Lembranças e Curiosidades de Uma Década Muito Doida (Ediouro, 2006), Nada Será Como Antes – MPB nos Anos 70, 30 Anos Depois (Senac/Rio, 2006), Caixa de Memórias (Desiderata, 2010), com Alberto Luiz Gastão, e Como Ver um Filme (Nova Fronteira, 2012) . Uma entrevista sua com Francis Ford Coppola, sobre o filme O Poderoso Chefão III, foi incluida no livro The Godfather Family Album (Taschen, 2008).

Traduziu para o português, de Michael Herr, o livro Despachos do Front (Objetiva, 2005); de John Casablancas, Vida Modelo: Aventuras e confidências do inventor de top models (Agir, 2008), e de Peter Biskind, Como a Geração Sexo, Drogas e Rock'n'Rool Salvou Hollywood (Intrínseca, 2009).

Foi responsável pela produção, roteiro e argumento do longa-metragem 1972 (Buena Vista, 2006), dirigido por José Emílio Rondeau, seu marido. Está trabalhando em seu segundo projeto como produtora cinematográfica. Ministra palestras e cursos sobre cinema.

É membro da Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, responsável pela premiação anual Globo de Ouro.

Não gosta de ser chamada de crítica, e sim de artesã das palavras e observadora profissional. Durante muito tempo, acreditou que o longa-metragem Blow Up (MGM, 1966), de Michelangelo Antonioni (1912-2007), um de seus filmes preferidos, era em preto e branco. Devido à repressão política da época, o filme esteve banido das telas dos cinemas comerciais brasileiros e só era visto em sessões caseiras. Ana Maria participou de uma que exibiu uma cópia de 16 mm da película, sem o colorido original, e acreditou durante muito tempo que o filme foi feito daquele jeito.


Atualizado em outubro de 2012 - Portal dos Jornalistas
Fontes:

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)