APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Antonio Costella

Antonio Costella

Autor de O Controle da Informação no Brasil, recebeu o Prêmio Luiz Beltrão de Maturidade Acadêmica 2002. Também é advogado, artista plástico, historiador e professor

Antonio Fernando Costella nasceu em São Paulo (SP), em 29 de março de 1943. É bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo (USP/SP), em 1965.
 
Advogado, jornalista, historiador e artista plástico, destacou-se, a partir de 1966, como professor de História da Imprensa e Legislação dos Meios de Comunicação, na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero (SP), influenciado por José de Freitas Nobre (1921-1990) e Carlos de Andrade Rizzini (1898-1972). Ao longo de mais de três décadas, integrou a equipe responsável pela implantação dos cursos de graduação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP/SP), onde atuou no período de 1970 a 1979. Trabalhou ainda na Universidade de Taubaté (Unitau/SP), na Faculdade de Direito da USP, na Faculdade de Música Santa Cecília (Fasc) de Pindamonhangaba (SP), na Faculdade de Comunicação Objetivo (SP), na Faculdade de Comunicação de Santos (UniSantos/SP), no Centro Universitário Alcântara Machado (UniFIAM-FAAM/SP) e, em Portugal, na Escola Superior de Jornalismo do Porto.
 
Seu livro O Controle da Informação no Brasil (Vozes, 1970), lançado no período mais duro de repressão da ditadura militar no País, é considerado uma das peças fundamentais na construção teórica do pensamento comunicacional brasileiro. “Não apenas um estudo de história da imprensa, mas também de sua documentação legal”, segundo o autor, o livro apresenta um panorama geral da evolução histórica da legislação de Imprensa brasileira e da censura no País a partir das restrições à liberdade de Imprensa em Portugal, no século 16. Encerra-o enfaticamente com a frase: “a história do controle da informação sempre foi e sempre será o barômetro da vida política nacional”.
 
Na área de Comunicação, lançou ainda os livros: Os Crimes Contra a Honra e os Meios de Comunicação (Vozes, 1972), Direito da Comunicação (Revista dos Tribunais, 1976), Comunicação: do Grito ao Satélite (Mantiqueira, 1978) e Legislação da Comunicação Social (Mantiqueira, 2002).
 
Participou, ainda, de Comunicação em Debate (Moderna, 1997), organizado por Marcia Kupstas, e publicou nove ensaios, dezenas de artigos jornalísticos e pareceres jurídicos, além de vários livros nas áreas de Ficção, Artes, História, Viagens e Animais: O Chão e a Nuvem (Revista dos Tribunais, 1976), Xilopoemas (Mantiqueira,1982), Introdução à Gravura e à Sua História (Mantiqueira, 1984), Para Apreciar a Arte: Roteiro Didático (Mantiqueira, 1985), Xilogravura: Manual Prático (Mantiqueira, 1987), Currículo do Tempo (Mantiqueira, 1991), Patas na Europa (Mantiqueira, 1993), Patas 2: A Viagem Continua (Mantiqueira, 1994), Patas 3: Ossos de Pizza (Mantiqueira, 1995), Vida de Cachorro: Biografia Não Autorizada (Mantiqueira, 1995), Um Nariz Muito Especial (Moderna, 1996), Cacareco, o Vereador (Mantiqueira, 1996), Dick, o Herói (Mantiqueira, 1996), Bucéfalo, o Grande (Mantiqueira,1996), A Gata Mícholas e a Praça (Mantiqueira, 1996), O Ladrão das Palavras (Mantiqueira, 1998), Como Cuidar Caninamente de Seu Cão (Mantiqueira, 1998), Patas 4: A Odisseia Final (Mantiqueira, 2000), Ter Cão é Coisa Séria: E Ter Outros Bichos Também É (Mantiqueira, 2000), Breve História Ilustrada da Xilogravura (Mantiqueira, 2003), Campos do Jordão em Seu Bolso (Mantiqueira, 2004), Xilogravura na Escola do Horto: Adolfo Kohtler e Seus Discípulos (Mantiqueira, 2005) e O Museu e Eu (Mantiqueira, 2012).
 
Recebeu o Prêmio Luiz Beltrão de Maturidade Acadêmica 2002, oferecido pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom). Em 2005, foi homenageado com o título de Cidadão Jordanense pela Câmara Municipal de Campos do Jordão. Seu nome foi associado ao da Casa de Cultura do município.
 
Na área pública, foi procurador municipal na cidade de São Paulo, secretário de Educação em Campos do Jordão e vice-delegado do Ministério da Educação e Cultura (MEC) para o Estado de São Paulo. Na área artística, estudou desenho com Vicente Mecozzi e pintura com Anna Russo Morrone e Camargo Freire. Fez cursos de xilogravura e escultura em madeira no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo e na academia La Grand Chaumiére, de Paris (França). Participou de exposições no País e no exterior e possui trabalhos em acervos de museus e instituições de diversos países. Fundou e dirige a Editora Mantiqueira de Ciência e Arte, desde 1977, e o Museu Casa da Xilogravura, em Campos do Jordão (SP) , desde 1987. Foi um dos fundadores da Academia de Letras de Campos do Jordão.
 
É membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e da Academia Paulista de História, professor titular de Legislação do Jornalismo na Faculdade de Comunicação do Centro Universitário Alcântara Machado, além de diretor editorial da Editora Mantiqueira de Ciência e Arte.
 
 
 
Atualizado em março de 2013 - Portal dos Jornalistas
Fontes:
 

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)