APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Antônio Torres

Antônio Torres

Condecorado Chevalier des Arts e des Lettres, na França,coleciona em sua produção literária dois Prêmios Jabuti,Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, e dois prêmios concedidos pelo grupo Zaffari & Bourbon, além de ter sido finalista de tantos outros

Ântonio Torres nasceu no pequeno povoado do Junco, hoje a cidade de Sátiro Dias, no interior de Bahia, no dia 13 de setembro de 1940. Estudou em Alagoinhas (BA) e mais tarde foi para Salvador (BA), onde se tornou repórter do Jornal da Bahia.

Aos 20 anos transferiu-se para São Paulo (SP), empregando-se no diário Última Hora. Lá mudou de ramo e passou a trabalhar em Publicidade. Viveu três anos em Portugal e atualmente dedica-se exclusivamente à atividade literária. Mora em Itaipava, distrito de Petrópolis (RJ).

Aos 32 anos, Antonio Torres lançou o seu primeiro romance, Um Cão Uivando para a Lua (Gernasa, 1972), que causou grande impacto, sendo considerado pela crítica como a revelação do ano. O romance seguinte, Os Homens dos Pés Redondos (Francisco Alves, 1973), marcou o caminho de escritor de sucesso, que foi confirmado anos depois com o seu maior sucesso: Essa Terra (Ática, 1976).

Considerado uma obra prima, o livro aborda a questão do êxodo rural de nordestinos em busca de uma vida melhor nas grandes metrópoles do Sul, principalmente São Paulo. Essa Terra ganhou uma edição francesa em 1984, abrindo o caminho para a carreira internacional do escritor baiano, que hoje tem seus livros publicados em Cuba, na Argentina, na França, na Alemanha, na Itália, na Inglaterra, nos Estados Unidos, em Israel, na Holanda, na Espanha e em Portugal. Em 2001, a Editora Record lançou uma reedição comemorativa (25 anos) de Essa Terra.

Volta à pequena Junco no título O Cachorro e o Lobo (Record, 1997), para reencontrar uma cidade já transformada pela chegada do progresso. É um romance publicado também na França, em 2001. Foi condecorado pelo governo francês, em 1998, como Chevalier des Arts e des Lettres, por seus romances publicados na França até então: Essa Terra e Um Táxi para Viena d’Áustria (Record, 1991).

Em 2000 ganhou o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da sua obra. Em 2001, foi o vencedor do Prêmio Zaffari & Bourbon, da 9ª Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo (RS), por seu romance Meu Querido Canibal (Record, 2000), no qual traça um painel das primeiras décadas da história brasileiras pelo viés do líder tupinambá Cunhambebe, um guerreiro indígena.

Dando sequência às suas pesquisas históricas, escreveu O Nobre Sequestrador (Record, 2003), que trata da invasão francesa ao Rio de Janeiro em 1711. O romance conta o sequestro da cidade durante 50 dias, até que lhe fosse pago um alto resgate para que ela fosse devolvida a seus habitantes. O livro foi finalista no Prêmio Zaffari & BourBourbon 2003.

Publicou, ainda, o romance Pelo Fundo da Agulha (Record, 2006), com o que fechou uma trilogia iniciada com Essa Terra e prosseguida com O Cachorro e o Lobo. O livro foi um dos vencedores do Prêmio Jabuti e finalista do Zaffari & BourBourbon.


Atualizado em Agosto/2012 - Portal dos Jornalistas
Fonte:
Folheto do II Salão Nacional do Jornalista Escritor/2012

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)