APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Ari Schneider

Ari Schneider

Editor-executivo do caderno de Economia de O Estado de São Paulo. Em sua gestão, o caderno foi premiado pela revista Propaganda & Marketing. Venceu o Prêmio Esso de Melhor Contribuição à Imprensa 1998, com Moacir Japiassu

Ari Schneider nasceu em São Paulo (SP), no dia 10 de outubro de 1942, e se formou em Jornalismo pela Fundação Cásper Líbero, em 1965.

Começou como revisor na Folha de S.Paulo, em 1963. Quando passou para a redação, trabalhou diretamente com Cláudio Abramo (1923-1987), um dos seus mestres no Jornalismo. Encontrou outro mestre, Alberto Dines, no seu segundo emprego, entre 1966 e 1971: foi repórter e chefe de Reportagem da sucursal de São Paulo do Jornal do Brasil, então considerado paradigma dos jornais do País.

Trabalhou em dois momentos para o Jornal da Tarde, do Grupo Estado. O primeiro, de 1973 a 1984, como pauteiro de Reportagem Geral e depois como editor de Internacional e Política. Em 1984 deixou o JT para acompanhar Fernando Mitre e outros no lançamento da revista Afinal.

Entre 1986 e 1987, a convite de Mário de Andrade, foi redator-chefe da revista Playboy, função em que disse ter tido a oportunidade de apurar sensivelmente o senso estético. Na sua segunda passagem pelo JT, entre 1987 e 1994, atuou como editor de Geral e secretário de Redação, função que trocou pela de diretor de Redação da revista Imprensa. Em seguida foi diretor da revista Jornal dos Jornais, criada em parceria com Moacir Japiassu e que conquistou, em 1998, o Prêmio Esso de Melhor Contribuição à Imprensa.

Em 2001 foi contratado para ser editor do caderno de Economia do jornal O Estado de São Paulo, convidado pelo diretor de Redação Sandro Vaia. Na ocasião, ao lembrar a Sandro que não era um especialista no assunto, ouviu dele a explicação de que não procurava um especialista, mas alguém empenhado em traduzir o jargão do setor e a editar com simplicidade e clareza os fatos às vezes complexos do mundo da Economia.

Mesmo ainda se dizendo leigo, sente-se cada vez mais à vontade no comando do caderno de Economia do Estadão, reforçado por uma seção de Negócios, receita com a qual o jornal procura amenizar a aridez que frequentemente marca a cobertura do setor. Em sua gestão, o Estadão foi premiado pela revista Propaganda & Marketing pela cobertura de Economia.

É editor-executivo do Caderno de Economia de O Estado de S.Paulo.

Integra, desde novembro de 2012, o Conselho Consultivo do Ranking J&Cia – Os Mais Premiados Jornalistas Brasileiros.


Atualizado em dezembro de 2012
Fonte:
Livro Jornalistas Brasileiros – Quem é Quem no Jornalismo de Economia

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)