APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Cid Furtado Filho

Cid Furtado Filho

Diretor de Jornalismo da Fundação Piratini – TV Educativa do Estado do Rio Grande do Sul. Jornalista com 34 anos de experiência, sendo 20 deles em jornalismo televisivo, ocupou cargos de editor chefe/sênior (Globonews, RBS TV, Manchete, Radiobrás, TV Record, entre outras) e Chefe de reportagem. Fez assessoria de imprensa a políticos, dois ministros de estado e de órgãos governamentais, em Brasília e instituições nacionais.

Cid Furtado Filho nasceu em Porto Alegre (RS). É graduado em Jornalismo, Cinema, Rádio e Televisão pela Universidade de Brasília (UnB), concluído em 1984.

Em 1980, antes mesmo de concluir a faculdade começou a trabalhar na assessoria de imprensa do ministério da Previdência Social. “Lá aprendi a fazer meus primeiros releases e notas para a imprensa, com o jornalista gaúcho Remi Gorga. A experiência abriu as portas para a carreira”, recordou-se.

Ainda no mesmo ano passou a repórter da TV Capital (BSB) atuando nas editorias de esporte, polícia, cidade e geral. Ficou lá até 1983.

Foi monitor das matérias Telejornalismo 1 e Telejornalismo 2, no Curso de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB), em 1982, em substituição ao professor titular.

Como repórter do jornal Última Hora, atuou por três anos na sucursal Brasília nas editorias de cidade, nacional e política.

Como editor chefe e chefe de reportagem TV Nacional (Radiobrás), coordenou a cobertura de fatos relacionados à Assembleia Nacional Constituinte, eleições presidenciais e posses dos presidentes Fernando Collor, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso, entre outros assuntos que aconteceram entre 1986/1993.

Em 1989 assumiu como diretor de programação e jornalismo da Rádio Cultura DF. Durante a gestão desenvolveu e implantou o primeiro projeto de rádio jornalismo da Rádio Cultura do DF.

Ainda neste período passou a acumular também como editor chefe da TV Manchete (BSB). Ficou na emissora entre 1989/1993 como editor responsável, em Brasília, pelos jornais Jornal da Manchete Edição da Tarde, Jornal da Manchete Segunda Edição e Brasília 7:30.

Em 1993 passou a editor chefe RBS TV (Porto Alegre – RS). De volta à cidade natal cuidou da reestruturação do jornal da RBS, além de ter coordenado a rede regional de notícias, dentro do jornal.

Dois anos após ter trabalhado na TV Nacional (Radiobrás), retornou à emissora em 1995 como editor chefe e chefe de reportagem. Lá dirigiu e editou programas como Caminhos da Reportagem.

Retornou também às atividades de editor de matérias de economia e política, para os jornais da Rede Manchete, Brasília. 

Cobriu os fatos políticos no Congresso Nacional como repórter de Política do Jornal de Brasília, em 1997.

Além de editor adjunto na Agência Brasília (Agência de notícias do Governo do Distrito Federal) foi também pauteiro e responsável pela divulgação das ações do governo Cristovam Buarque, em 1998.

No mesmo período foi editor chefe do Jornal das Dez da Globo News, direto de Brasília. Coordenou a rede nacional em eventos, programas e jornais da emissora, entre eles, o Espaço Aberto. 1998/1999.

Em 1998 foi sócio fundador e gerente da Agência Independente de Notícias que desde a fundação a empresa atendeu a diversos clientes, entre eles, o Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal (Sindtten), Confederação Nacional dos Profissionais Liberais (CNPL), Brasil Open de Tênis em Cadeira de Rodas, Sociedade Nheengatu de Documentação, Preservação e divulgação, de Cultura e Esporte Indígena e Meio Ambiente (Nheengatu). A agência operou até 2006.

Como assessor de Imprensa do deputado Vivaldo Barbosa, em 1999, respondeu pelo relacionamento do parlamentar com a imprensa nacional, redação de discursos, pronunciamentos, notas oficiais, coordenação de entrevistas coletivas e individuais. Também editou o livro sobre a atuação do parlamentar no ano legislativo.

Foi porta-voz do centro de controle geral do Projeto do Bug 2000, para o Ministério da Defesa. Na época organizou a comunicação do Governo Federal com relação as ações adotadas para enfrentar o chamado “Bug do Milênio”.

Simultaneamente foi correspondente, em Brasília, do jornal A Notícia, de Santa Catarina.  

Entre 2000/2002 foi coordenador geral de assuntos externos da - FUNAI - Fundação Nacional do Índio incumbido da criação e edição dos veículos: revista Brasil Indígena, jornal Porã’duba, informativo Curumim, web site da FUNAI na Internet e programa de televisão Brasil Indígena. No período participou da realização dos Jogos dos Povos Indígenas e Funai vai à Escola. Sendo, ainda, responsável pelas relações da Fundação com a imprensa nacional e internacional.

A partir de 2002 foi assessor especial para relacionamento com a Imprensa do Ministro da Integração Nacional 2002/2003. E em 2003 foi assessor de imprensa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) 2003. Período em que participou da criação e redação doa programa Dnit Transparente e Férias de Verão.

De 2004 a 2005 foi assessor de imprensa do Ministro da Previdência Social Amir Lando e respondeu pela divulgação da pasta e orientação dos dirigentes do Ministério e INSS, no relacionamento com a imprensa. Após o ministro passar a senador, continuou em sua assessoria até 2007 e com o assessoramento das Comissões Parlamentares Mistas de Inquérito (CPMI) do “Mensalão” e “Sanguessugas”.

Entre 2007 e 2011 cuidou de uma sequência de assessorias de imprensa: Presidência Nacional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em 2007, redação, revisão e editoria do Jornal A Palavra do PMDB; presidência do Senado Federal até 2009; CNI - Confederação Nacional da Indústria, 2010; correspondente da Agência Alagoas de Notícias e assessor de imprensa durante as visitas do governador Teotônio Vilela em seus compromissos na capital federal, 2011.

De volta às redações em maio de 2012 foi editor de jornalismo local na TV Record, Brasília. Ficou na emissora até dezembro 2014, cuidando da edição de programetes Institucionais da emissora e editoriais do Governo do Distrito Federal, edição de matérias para os jornais DF no ar e Balanço Geral. Foi editor da TV Justiça, Brasília – DF, em abril de 2014.

Desde fevereiro 2015 assumiu como diretor de jornalismo da Fundação Piratini TVE/RS, TV Educativa do Estado do Rio Grande do Sul. 

Segue também como integrante do Movimento Escoteiro, filiado a União dos Escoteiros do Brasil, desde 2003; e sócio Fundador da Sociedade Nheengatu de Documentação, Preservação e Divulgação de Cultura e Esporte Indígena e Meio Ambiente. ONG de apoio à cultura indígena e meio ambiente, desde 2003.

 

 

Atualizado em agosto/2015 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

Informações conferidas pelo jornalista

https://www.facebook.com/cid.furtado

https://www.linkedin.com/pub/cid-furtado/a3/233/488

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)