APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Dácio Nitrini

Dácio Nitrini

Um dos ícones da imprensa nanica, que buscava iluminar as trevas lançadas pela ditadura militar, trabalhou em alguns dos principais veículos de comunicação do País. É diretor de Jornalismo da TV Gazeta

Nascido em São Paulo (SP), no dia 11 de dezembro de 1951, Dácio Nitrini graduou-se em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, em 1981.
 
Iniciou-se na carreira escrevendo para jornais do movimento secundarista, em 1967. Três anos depois, atuou como redator no setor de propaganda do Equipe Vestibulares. Entre 1973 e 1976, participou de publicações como o Jornalivro (SP), O Grilo (SP), EX- (SP) e Extra – Realidade Brasileira (SP), que faziam oposição à ditadura militar.
 
No semanário Aqui São Paulo (SP), foi repórter até 1980. Transferiu-se para O Estado de S.Paulo (SP), onde atuou como repórter de Geral. Na TV Globo (SP), trabalhou como repórter e editor do programa Globo Repórter. Esteve na Folha de S.Paulo (SP) entre os anos de 1980 e 1988, atuando como editor de Cidades, secretário de Produção, secretário de Redação, chefe da Agência Folhas e repórter especial. Chefiou a equipe que fez as coberturas da Campanha Diretas-Já e do período de doença e morte de Tancredo Neves (1910-1985).
 
Na Faculdade Cásper Líbero, instituição na qual se formou, atuou como professor, entre 1985 e 1986.
 
Em 1988, foi para a TV SBT (SP), onde integrou o grupo que fortaleceu o Telejornalismo na emissora, lançando a figura do âncora, ressuscitando a opinião e reflexão política no período pós-ditadura. Permaneceu na rede até 1997, onde atuou como editor-chefe adjunto e diretor executivo do TJBrasil.
 
Na Rede Record, onde permaneceu entre os anos de 1997 e 2005, foi diretor executivo do Jornal da Record e diretor do programa semanal de entrevistas Passando a Limpo. Na emissora, organizou e dirigiu debates eleitorais para a Prefeitura da Cidade de São Paulo, o Governo do Estado de São Paulo e a Presidência da República. Em 2006, coordenou a cobertura eleitoral nos programas jornalísticos da TV Cultura (SP).
 
A partir de 1º de fevereiro de 2010 Dácio foi convidado a assumir a direção de jornalismo da TV Gazeta. A assessoria da emissora informou que a experiência em telejornalismo de Nitrini pesou no momento de sua escolha para o cargo. De acordo com a Gazeta “a princípio, a nomeação de Nitrini não figura uma mudança na linha editorial da emissora, tampouco em sua programação. A assessoria informou que ele "foi contratado como gestor de um projeto e que não há previsão de um novo formato para a grade de emissora". 
 
É o organizador da publicação fac-similar da coleção do jornal ex-, editada pelo Instituto Vladimir Herzog, com o apoio da Imprensa Oficial de São Paulo, e um dos autores do livro Matar ou Morrer – Autobiografia de Edmilson Lucas da Silva, menor abandonado (Símbolo, 1977). Em 1982, recebeu, com Valmir Salaro, o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos pela matéria Rota, a mística, os métodos e as mortes, publicada na Folha de S.Paulo.
 
O Jornalismo da TV Gazeta segue em 2015 dirigido por Dácio Nitrini. 
 
 
 
 
Atualizado em outubro/2015 - Portal dos Jornalistas 
Fontes:
Informações iniciais em 'Depoimento pessoal'
http://portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/31073/dacio+nitrini+e+o+novo+diretor+de+jornalismo+da+tv+gazeta

Links em que Dácio Nitrini atua como entrevistador
 

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)