APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Fabrício Carpinejar

Fabrício Carpinejar

Poeta filho de poetas, participa do Encontro com Fátima Bernardes, na TV Globo. Blogueiro desde 2003, possui quase 300 mil seguidores no Twitter. Apresentou o programa A Máquina, na TV Gazeta, de 2012 a 2016

Fabrício Carpi Nejar nasceu em 1972, na cidade de Caxias do Sul (RS), e logo foi morar em Porto Alegre (RS). Lá se formou em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs/RS), em 1995. Fez mestrado em Literatura Brasileira pela mesma instituição, em 2002. É filho dos poetas Carlos Nejar e Maria Carpi.
 
Publicou o seu primeiro poema na revista experimental da Faculdade de Comunicação. Começou a trabalhar na imprensa em 1995. Mudou-se para São Leopoldo (RS) no ano seguinte. Criou um blog no portal Blogger em agosto de 2003, onde publicou crônicas até dezembro de 2009. Ainda em 2003, tornou-se colunista da revista Vida Simples (SP), onde ficou durante um ano.
 
Exerceu o papel de colunista do suplemento cultural Rascunho, do jornal Gazeta do Povo (PR), em 2004. Inaugurou, no ano seguinte, a seção Consultório Poético no site da revista Superinteressante (SP), que depois seguiria para o portal Globo.com. Apresentou, na TV Unisinos (RS), com Márcia Tiburi, o programa A Bela e a Fera. Assumiu, ainda, a coluna Primeiras Intenções da revista Crescer.
 
Atuou, em 2006, como professor nos cursos de Formação de Produtores e Músicos de Rock e de Escritores e Agentes Literários, ambos da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Substituiu a Luís Fernando Verissimo no caderno Donna do jornal Zero Hora (RS), durante as férias do titular.
 
Agitou a cena literária gaúcha, em 2007, com os projetos literários Em Busca do Tempo Perdido e Miss Cultura. Em 2008, seu blog superou a marca de um milhão de visitantes. Foi um dos convidados do Seminário de Altos Estudos Fronteiras do Pensamento, realizado em Porto Alegre (RS), participando de conferência ao lado do escritor cubano Pedro Juan Gutiérrez. Colaborou com resenhas sobre livros para o Caderno 2 do jornal O Estado de S.Paulo. Voltou a morar em Porto Alegre.
 
Em 2009, conduziu oficinas de poesia e crônica no Studio Clio, Sinpro e Caixa Econômica Federal, na capital gaúcha. Substituiu novamente a Luís Fernando Verissimo durante as férias no ZH. Passou a integrar o grupo de cronistas do site Vida Breve e mudou seu blog para novo endereço, ainda no portal Blogger.
 
Foi eleito, em maio de 2010, uma das 27 personalidades mais influentes na internet pela revista Época. Mantém, desde maio de 2011, a coluna semanal antes ocupada por Moacyr Scliar (1937-2011) no jornal Zero Hora. Contratado pela TV Gazeta (SP), em 2012, começou a apresentar A Máquina, “um programa de entrevistas lúdicas”. Começou, também, a trabalhar como comentarista na rádio Gaúcha (RS), ocupação que desencumbiu até maio de 2016. Na TVCom Tudo+, no portal clicRBS, passou a apresentar o quadro semanal DRnaTV.
 
Tornou-se colunista (impresso e digital) de O Globo, em abril de 2014, e passou a integrar a equipe do programa Encontro com Fátima Bernardes da TV Globo. Começou também, em 2016, a apresentar o talk-show Consultório Sentimental em pequenos palcos, ao lado de convidados, e o programa de mesmo nome na rádio Farroupilha (RS). A atração – que conta ainda com as participações de José Klein, Francesca Romani e Voltaire Santos – aborda temas sobre relacionamentos e conta com a participação ao vivo dos ouvintes. Deixou a TV Gazeta (SP) em outubro de 2016, quando a emissora extinguiu a sua produção de Conteúdo em razão da crise econômica.
 
Publicou os livros: As Solas do Sol (Bertrand Brasil/FBN, 1998); Um Terno de Pássaros ao Sul (Escrituras, 2000); Terceira Sede (Escrituras, 2001); Biografia de uma Árvore (Escrituras, 2002); Caixa de Sapatos (Cia. das Letras, 2003); Cinco Marias (Bertrand Brasil, 2004); Porto Alegre e o Dia em que a Cidade Fugiu de Casa (Alaúde, 2004) – com ilustrações de Eduardo Nasi –; Como no Céu/Livro de Visitas (Bertrand Brasil, 2005); O Amor Esquece de Começar (Bertrand Brasil, 2006); Filhote de Cruz Credo (Girafinha, 2006) – com ilustrações de Rodrigo Rosa –; Meu Filho, Minha Filha (Bertrand Brasil, 2007); Um Terno de Pássaros ao Sul (Bertrand Brasil, 2008); Canalha! (Bertrand Brasil, 2008); Diário de um Apaixonado (Mercuryo Jovem, 2008) – novamente com ilustrações de Rodrigo Rosa –, (Bertrand Brasil, 2009); www.twitter.com/carpinejar (Bertrand Brasil, 2009); Salva Vidas (Nova Prova, 2009); Terceira Sede: Elegias (Bertrand Brasil, 2009); A Mulher Perdigueira (Bertrand Brasil, 2010); O Menino Grisalho (Mercuryo Jovem, 2010) – com ilustrações de Guilherme Zamoner –; Votupira, o Vento Doido da Esquina (SM, 2011) - ilustrações de Elisabeth Teixeira -; Borralheiro (Bertrand Brasil, 2011); A Menina Superdotada (Mercuryo Jovem, 2011); Ai Meu Deus, Ai Meu Jesus (Bertrand Brasil, 2012); O Menino Tímido (Mercuryo Jovem, 2012); Beleza Interior (Arquipélago, 2012); Teimosinha (Melhoramentos, 2013) - ilustrada por Guto Lins -; Espero Alguém (Bertrand Brasil, 2013); Não Atravesso a Rua Sozinho (Edelbra, 2013); Te Pego na Saída (Edelbra, 2013); Um Parafuso a Mais (Edelbra, 2014) – estes três últimos com ilustrações de Eloar Guazzelli ;  A Girafa é Minha (SM, 2014) – com ilustrações de Miguel Tanco –; Me Ajude a Chorar (Bertrand Brasil, 2014); Deixa a Criança Ser Tímida (Edelbra, 2014); Olhos de Raposa (Edelbra, 2014); Segredo de um Violino (Edelbra, 2014) – os três úlimos ilustrados por Ana Pez –; Curinga (Arquipélago, 2014); Lulu (Edelbra, 2014) - com ilustrações de Serena Riglietti –; Menino de Verdade (Edelbra, 2015) – novamente com ilustrações de Eloar Guazzelli –; Para Onde Vai o Amor? (Bertrand Brasil, 2015); Todas as Mulheres (Bertrand Brasil, 2015); Tão Eu, Tão Você (Edelbra, 2015), Amor à Moda Antiga (Bertrand Brasil, 2016); Felicidade Incurável (Bertrand Brasil, 2016), e Beleza Interior: Uma viagem poética pelo Rio Grande do Sul (Arquipélago, 2016).
 
Como organizador, lançou Bem-Vindo: Histórias com as cidade de nomes mais bonitos e misteriosos do Brasil (Bertrand Brasil, 2012) e Um Montão de Gente (Samsung, 2016). Este último foi fruto de um convite da fabricante de eletrônicos feito durante a realização da Bienal do Livro de São Paulo 2016. Partiu da web para desembocar na web: os internautas enviaram respostas à pergunta "Se você fosse escrever um livro, sobre o que seria" para #samsungnabienal e o organizador criou um enredo para ligá-las. O resultado – um livro escrito por um montão de gente – foi lançado como ebook, disponível para download no Kindle, gratuito e exclusivo para usuários da Samsung. 
 
Venceu os prêmios Fernando Pessoa 1999, o de Destaque Literário da 46ª Feira do Livro de Porto Alegre 2000, o Açorianos de Literatura 2001, o italiano Marengo D’Oro 2001, o Cecília Meireles 2002 (da União Brasileira de Escritores), o Nacional Olavo Bilac 2003 (da Academia Brasileira de Letras), o Erico Verissimo (da Câmara Municipal de Vereadores de Porto Alegre) e o Jabuti 2009, na categoria Contos e Crônicas.
 
Foi finalista do Prêmio Açorianos 1999, do Prêmio Jabuti 2006, na categoria Poesia, e do Prêmio Fato Literário 2009, do Grupo RBS. Foi patrono das Feiras do Livro de São Leopoldo (2001), Barra do Ribeiro (2002), Esteio (2006), Taquara (2006), Cachoeira (2007), São Sebastião do Caí (2007), Lajeado (2007), Niterói/Canoas (2007), Santa Clara do Sul (2008), São Sepé (2008), Garibaldi (2008), Viamão (2009), Torres (2009) e Porto Alegre (2004, 2005, 2006 e 2007). Foi, ainda, um dos autores homenageados da 10ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty, em 2012.
 
Diz que "quando conseguir se definir deixará de ser poeta".
 
 
Atualizado em outubro de 2016
 
Fontes:
Arquivo do Jornalistas&Cia.

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)