APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Felipe Machado

Felipe Machado

Jornalista multimídia, blogueiro, músico, diretor de documentários e escritor. É diretor de Novos Negócios da agência Porta-Voz, dedicando-se à implantação de projetos na área digital.

Felipe Machado nasceu em São Paulo (SP), no dia 4 de agosto de 1970. Formou-se em Comunicação Social pela Faculdade Cásper Líbero (SP), em 1993, e fez mestrado em Jornalismo Digital no Instituto Internacional de Ciências Sociais/Universidade de Navarra, em 2009. É filho dos jornalistas Adones de Oliveira e Helô Machado.
 
Criou em 1986, com amigos de infância, a banda brasileira de heavy metal Viper, pela qual já participou – como compositor, violonista, guitarrista e backing vocal – da gravação de seis álbuns de estúdio, dois ao vivo e dois DVDs, além de turnês pelo Brasil, Japão, Europa, Estados Unidos e América do Sul, dividindo o palco com conjuntos do porte do Metallica, Black Sabbath, Ramones e Kiss.
 
Em 1997, começou a trabalhar na área publicitária, como redator da agência de Propaganda DPZ. Conquistou o Prêmio do Clube de Criação de São Paulo, em 1997.
 
Somente em 2000 passou a trabalhar como jornalista. Permaneceu por onze anos no Grupo Estado, atuando como repórter, editor de Variedades e editor de Multimídia. Criou, implantou e dirigiu a TV Estadão, área do portal de O Estado de S.Paulo (SP) destinada à publicação de matérias em vídeos. Produziu, para a webTV do grupo os documentários A Amazônia de Euclides da Cunha: Um Paraíso Perdido, 1968: Mordaça no Estadão, Grandes Reportagens: Amazônia, Grandes Reportagens: Megacidades, e o curta-metragem de ficção Amor 2.0 – projeto colaborativo realizado para o Limão, portal jovem do Grupo Estado.
 
No período, lançou-se como escritor, publicando os livros Olhos Cor de Chuva (Escrituras, 2002) e O Martelo dos Deuses (Artepaubrasil, 2008). Participou da cobertura dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e da Copa do Mundo de Futebol da África do Sul 2010, que inspiraram a criação dos livros reportagens Ping Pong: Chinês por um mês (Artepaubrasil, 2008) – indicado ao Prêmio Jabuti – e Bacana, Bacana (Seoman, 2010). Em 2010, fez parte da equipe que conquistou o primeiro lugar, na categoria Edição, do Prêmio Estadão.com.br de Jornalismo, pela cobertura das eleições daquele ano.
 
Em jornais internacionais, foi colaborador das publicações The New York Times (EUA), Citizen K, Mixte, Double (França), Back2Back (Inglaterra) e Vision (China).
 
É editor responsável pelo blog Felipe Machado: Palavra de homem, no ar desde novembro de 2006, baseado inicialmente na coluna semanal que manteve durante cinco anos no Jornal da Tarde. Em fevereiro de 2010, fundou a agência FMachado Comunicação, passando a atuar como consultor independente na área de Conteúdo e Mídias Digitais.
 
Foi editor de Mídias Digitais do Diário de S.Paulo (SP) e da Rede Bom Dia (SP) de abril de 2011 a agosto de 2013, quando deixou o cargo para dedicar-se à consultoria na área digital. Continuou, porém como editor para América Latina do Fair Observer, grupo formado por jornalistas que fazem coberturas analíticas de temas mundiais e dos impactos que causam em seus países.
 
Foi chefe de Reportagem do portal R7 – para o qual levou o seu blog – de dezembro de 2013 a julho de 2014, quando passou a integrar a equipe de Comunicação da campanha de Aécio Neves à Presidência da República. Dirigiu a captação de imagens para o documentário Contagem Regressiva: Uma Eleição Presidencial.
 
Assumiu, em agosto de 2015, o posto de diretor de Novos Negócios da Porta-Voz Assessoria de Imprensa e Comunicação, responsável, também, pelas áreas de Estratégias Digitais, Conteúdo e Projetos Especiais. Lançou, na mesma época, o primeiro disco fora do Viper, o álbum FM Solo (WikiMetal/FM Labs, 2015).
 
Publicou o livro infantil Um Lugar Chamado Aqui (Sesi/SP, 2016), ilustrado por Daniel Kondo.
 
 
Atualizado em dezembro de 2016
 
Fontes:
Jornalistas&Cia - Ed. 798
Jornalistas&Cia - Ed. 911

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)