APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Januário de Oliveira

Januário de Oliveira

Narrador e locutor de futebol, marcou sua passagem pelo rádio e pela televisão com bordões criados de estalo, no calor das partidas de futebol. Teve que aposentar-se, por causa do diabetes

Januário de Oliveira nasceu em 12 de fevereiro de 1940, em Alegrete (RS).
 
Começou a carreira na rádio Cultura de Bagé (RS), em 1963, como ator de radionovela, função que exerceu durante seis meses. Transferiu-se para a equipe de Esportes da emissora assim que surgiu uma vaga. Ficaria quase 40 anos atuando no setor, principalmente como locutor e narrador.
 
Passou pela rádio Farroupilha, de Porto Alegre (RS), antes de mudar-se para o Rio de Janeiro (RJ), onde trabalhou por muitos anos nas rádios Mauá, Nacional e Globo. A convite de Sérgio Noronha, partiu para a televisão, ficando de 1982 a 1992 na TVE (RJ). Transferiu-se, depois, para a TV Bandeirante, onde permaneceu até que o diabetes lhe deixou cego de um olho e o obrigou a aposentar-se, em 1997. Mesmo assim, ainda narrou algumas partidas da Copa do Mundo de Futebol da França 1998 pela TV Manchete.
 
Ainda é muito lembrado por seus bordões, todos criados de estalo. Alguns deles: 'Taí o que você queria, bola rolando...; 'Tá lá um corpo estentido no chão!; Eu vi, eu vi!; Cruel, muito cruel!, e É disso que o povo gosta... Promovia os jogos criando apelidos para alguns jogadores, que passaram a adotá-los profissionalmente, entre eles o Charles Guerreiro, o Super-Ézio e o Valdeir-The-Flash.
 
Vive em Goiânia (GO). É torcedor do Fluminense Football Club.
 
 
 
Atualizado em março/2013 - Portal dos Jornalistas
Fontes:
 

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)