APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

José Horta Manzano

José Horta Manzano

Escritor, analista e cronista assina o blog ‘Brasil de Longe’ onde analisa as ‘brasileirrices’, dependendo da inspiração do momento, podem tratar de política, línguas, história, música, geografia, atualidade e notícias do dia a dia. Mensalmente assina um artigo inédito publicado pelo jornal Correio Braziliense no caderno Opinião. Domina seis idiomas, além do Português e ‘tem noções básicas’ de outros seis. Seu conhecimento de idiomas permite-lhe percorrer a mídia internacional e oferecer um apanhado a seus leitores. A comparação entre os fatos de lá e os daqui é uma de suas especialidades.

José Horta Manzano nasceu em São Paulo (SP) e faz aniversário em 18 de março. Segundo ele a cidade era outra: “uma São Paulo bem diferente da que hoje conhecemos”. Foi escolarizado no Instituto de Educação Caetano de Campos, tradicional escola pública. O estabelecimento era então considerado o melhor da cidade. Vive na Suíça.

Seus primeiros passos no jornalismo foram dados já na infância, quando integrou o corpo de redatores mirins do jornal escolar Nosso Esforço.

Por aquela época, preocupado em fazer trabalho benfeito, procurou o Instituto Cultural Monteiro Lobato e lá seguiu um curso de Organização de Jornais Escolares. Os demais participantes, todos adultos, olhavam com curiosidade para aquele pirralho e se perguntavam o que é que um garoto de 12 anos podia estar fazendo ali. Pois estava aprendendo, que Manzano é daqueles que gostam de descobrir e de entender. Mais tarde, já no ginásio, participou da criação de dois ou três jornaizinhos escolares, todos de duração efêmera.

Por mais que São Paulo crescesse e que possibilidades se abrissem, o jovem se angustiava ante a perspectiva de passar a vida toda no rincão natal. A necessidade de alargar horizontes era imperiosa. Aos 19 anos, deixou escola, família, amigos e foi-se embora para a Europa de mala e cuia. A ideia era passar uns dois anos, mas o destino decidiu diferente: foi ficando, foi ficando e está lá até hoje.

Nestes cinquenta anos, muita água passou sob as pontes do Ródano, do Reno e do Danúbio. José Horta Manzano viajou muito, conheceu dezenas de países, trabalhou em uma dúzia deles. Tateou aqui e ali em busca de uma atividade que lhe conviesse. Passeou pela música, pela hotelaria, pela administração, e acabou montando sua própria empresa. Vive na Suíça. Mas, no fundo, o que sempre o atraiu foi a escrita e o estudo de línguas.

São muitos os idiomas com que está familiarizado. Além do português, domina o francês, o alemão, o inglês, o italiano, o sueco, o espanhol. Também teve contacto com outras línguas das quais guarda noções básicas (ou não tão básicas assim): esperanto, norueguês, russo, japonês, turco, chinês.

Parafraseando Fernando Pessoa, que dizia que sua pátria era a língua portuguesa, Manzano pode asseverar que seu universo são as línguas que conhece. Mergulhado nele, sente-se bem.

É articulista do jornal Correio Braziliense desde 2011. Seu artigo, sempre inédito, aparece no primeiro sábado de cada mês no caderno Opinião. Aborda temas assaz ecléticos. Dependendo da inspiração do momento, podem tratar de política, línguas, história, música, geografia, atualidade. O autor está longe de ser “monomaníaco”.

Desde 2012, Manzano edita o blogue Brasil de Longe, site bastante original. O «distinto leitor» – como é elegantemente tratado todo visitante – encontra lá a visão de mundo de um expatriado pero no mucho. De fato, apesar de ter passado décadas longe da terra de origem, José Horta Manzano conseguiu guardar laços estreitos.

Seus seguidores – que são numerosos e fieis – recebem uma surpresa a cada dia. Os artigos costumam ser temperados com humor fino e apimentados com uma ponta de ironia. Tudo dentro de ambiente recatado. “Sorriso sim, gargalhada não. Ironia leve sim, vulgaridade jamais”, confere.

Manzano funciona como um elétron livre da análise jornalística crítica. Seu conhecimento de idiomas permite-lhe percorrer a mídia internacional e oferecer um apanhado a seus leitores. A comparação entre os fatos de lá e os daqui é uma de suas especialidades.

Uma boa metáfora para descrever a visão peculiar que José Horta Manzano lança sobre o mundo é a de uma “dobradiça”: aquela peça que garante a ligação entre dois universos sem pertencer, no fundo, a nenhum deles. É o protótipo do cidadão do mundo.

 

 

Atualizado em abril/2015 – Portal dos Jornalistas

Informações conferidas pelo jornalista

Blog@Manzano.li

http://adaorochas.jusbrasil.com.br/artigos/172209864/bode-expiatorio

http://avaranda.blogspot.ch/2014/03/rito-de-passagem-jose-horta-manzano.html

http://novo.clipclipping.com.br/impresso/ler/noticia/2241630/cliente/131

http://arquivoetc.blogspot.ch/2014/01/os-dois-tabus-jose-horta-manzano.html

http://brasilsoberanoelivre.blogspot.ch/2015/02/expurgo-seletivo.html

http://www.edsonsombra.com.br/post/opiniao-carta-aberta-a-presidente20141101

http://hbois.blogspot.ch/2013/12/nem-malandragem-nem-vadiagem-jose-horta.html

ieccmemorias.wordpress.com

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)