APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Júlio Hungria

Júlio Hungria

Morreu dia 11 de janeiro de 2015, no Rio de Janeiro, aos 76 anos. Foi o fundador do site Blue Bus, pioneiro na cobertura do mercado publicitário e de mídia. Pioneiro no Brasil do formato blog. Ficou conhecido como "o sábio motorista do ônibus azul". Foi subeditor do Jornal de Vanguarda na TV, editor e crítico de música popular do Jornal do Brasil. Assinou coluna no Pasquim no início dos 70 e foi editor do Segundo Caderno da Ultima Hora. Abriu a Rádio Atividade, produtora de jingles, e também editou o jornal do Clube de Criação do Rio de Janeiro.

(1939,  Rio de Janeiro/RJ –  11 de janeiro de 2015, no Rio de Janeiro/RJ)
 
Júlio Hungria, carioca, morreu aos 76 anos.  Pioneiro na cobertura do mercado publicitário e de mídia, foi o fundador do site de notícia Blue Bus em 1995, quando a internet era futuro.
 
Começou a carreira no início dos anos 60 como produtor de discos na Philips e na EMI Odeon, depois de ter produzido o primeiro show da bossa nova em 1959.
 
Chefiou o departamento de produção da Rádio Jornal do Brasil por 14 anos – desde 60 até 1974.
 
Foi subeditor do Jornal de Vanguarda na TV e editor e crítico de música popular do Jornal do Brasil entre 1967 e 1974.
 
Assinou coluna no Pasquim no início dos 70. Entre 1975 e 1978, chefiou o copy desk (jornalista que dava ao texto do repórter ou editor, a versão final de acordo com o formato do veículo) e foi editor do Segundo Caderno da Ultima Hora.
 
Em 1980, abriu a Radio Atividade, produtora de jingles. Entre 1990 e 1994 editou o jornal do Clube de Criação do RJ.
 
Fundou o Blue Bus em 1995, para o mercado publicitário carioca. Em janeiro de 1997, inaugurou o site na internet. A história que começou em 95, em 29 de novembro, teve como palco o auditório de um apart hotel em Ipanema, Rio de Janeiro. Lá Júlio apresentou o Blue Bus.
 
Desde o início o BB apresentava as notícias na ordem cronológica invertida e combinava notícias com a participação dos usuários: espaço a comentários de leitores. Por essas duas características inovadora a criação de Júlio é considerada como pioneira no formato blog e é frequentemente referido como blog quando citado por outros veículos. O Blue Bus era lembrado por esse visual simples e em formato de lista.
 
A recente história do blog mostra uma criação pioneira, online, interativa, além de momentos exclusivos vividos pelos desbravadores do universo da internet de notícias. Nos tempos iniciais, Júlio encontrou em Marcio Nunes, o primeiro sócio. Há uma foto registro da parceria. Em 2009 Débora Schach passou a integrar a equipe do Blue Bus como editora. Digital até o último fio de cabelo, a redação do BB é totalmente virtual, com editores que até bem recentemente nunca haviam se encontraram fora da web.
 
Em 2011, foi inserida uma coluna lateral, que deu um ar de blog ao site. Em 2012, após um incêndio nos servidores da BrT no Rio de Janeiro e à falta de backup do sistema, o Blue Bus modificou radicalmente o layout e passou a apresentar uma capa em estilo mosaico, com imagens das 12 notícias mais recentes.
 
O nome do site traduz o slogan: Todo mundo vê, "um ônibus”, aliás, “azul”, com a proposta de "levar as pessoas aos lugares, através de notas curtas e links, como um 'guia' diário instalado basicamente sobre o assunto 'mídia', mas também colecionando informações 'relacionadas' nas áreas de consumo, cultura pop etc”, conforme Júlio Hungria explica no site.
 
Para quem não acompanhou a história e saga do Blue Bus, Júlio lançou o Livro dos 10 Anos, em 2005. Depois o livro dos 17 anos no aniversário do ônibus em 2012.  Os livros condensam a trajetória com depoimentos ilustres que recuperam a informação sobre os últimos 20 anos da internet no Brasil.

Em julho de 2013 o J&Cia divulgou que Daniel Oiticica, em Buenos Aires, juntou-se a Yami Trequesser em Londres e Marise Araújo em Lisboa, como correspondente do site de notícias BlueBus. Mais um episódio da saga.

Dois anos antes, em 18 de novembro de 2011 o Bus foi tema do J&Cia em Memórias da Redação contada por Cristina Vaz de Carvalho, editora de J&Cia no Rio de Janeiro.
 
Além do Parabéns, ao Blue Bus! Cristina contou a história do site, antes lembrando um dos capítulos da história do próprio J&Cia: “Nos anos 1990, Jornalistas&Cia, recém-criado com o nome de FaxMoagem, circulava com uma ou duas páginas, e ainda era distribuído por fax. Na época, a chamada grande imprensa ainda não cogitava montar uma redação para a mídia digital. O máximo de avanço que tínhamos era a digitalização do acervo. Mais tarde, passaram a veicular o noticiário em texto corrido, como fez o Jornal do Brasil, com pioneirismo, nos bons tempos”.
 
“Porém, (continua Cristina) alguns visionários veiculavam por conta própria notícias exclusivamente na web. Júlio Hungria, de Blue Bus, inicialmente dirigido a leitores do mercado publicitário, foi um deles. Abriu os trabalhos como uma BBS (aos muito jovens: um software que permitia ao usuário postar e baixar dados, e trocar mensagens com outros usuários, geralmente por conexão telefônica). Para mim, o didatismo de Julio foi fundamental para entender a mudança que ocorria então".
 
O velório e enterro foi realizado em uma segunda-feira, dia 12 de janeiro de 2015), às 15h, na capela 5 do cemitério São João Batista, em Botafogo. O jornalista deixou quatro filhos e duas netas.
 
 
Atualizado em Janeiro/2015 – Portal dos Jornalistas
 
Fontes:

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)