APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Kenneth Maxwell

Kenneth Maxwell

Colunista da página A2 da Folha de S.Paulo, é britânico, brasilianista e referência sobre a historiografia brasileira. Sobre o tema lançou vários livros.

Kenneth R. Maxwell nasceu em 1941, historiador britânico é graduado pela Universidade de Cambridge (Reino Unido) e doutorado em Princeton (EUA). É especialista em História Ibérica e no estudo das relações entre Brasil e Portugal no século XVIII, sendo um dos mais importantes brasilianistas da atualidade, uma das maiores referências na historiografia sobre o período colonial, brasileiro.

O primeiro contato de Kenneth Maxwell com o Brasil foi assistindo ao filme Orfeu Negro, do cineasta Marcel Camus, em 1962, quando ainda cursava a graduação em Historia na universidade de Cambridge, na Inglaterra.  A obra despertaria a sua curiosidade sobre um país do qual ainda não sabia quase nada. Em 1965, Maxwell desembarca no Rio de Janeiro com uma bolsa de pós-graduação para estudar a formação do Império brasileiro. Foi a Minas para “ver a geografia e as cidades históricas”. A visita a Ouro Preto lhe causou um forte impacto, e ele volta ao Rio levando mais a sério a idéia de uma Conjuração em Minas.

É autor de A Devassa da Devassa - A Inconfidência Mineira: Brasil e Portugal. (Paz e Terra). Notabilizou-se no Brasil com essa obra, onde analisa o episódio da Inconfidência Mineira a partir do ponto de vista dos movimentos sociais e econômicos de seu tempo, e mostra de que forma esse episódio de cisão com o império foi ditado por forças estruturais, e não apenas pelo protagonismo de personagens históricos. O texto revê, com base em extensa pesquisa fundamentada e em documentação, a cronologia da Inconfidência.

Entre os outros livros que lançou estão O Império Derrotado (Cia das Letras), que aborda a crise e reestruturação imperial, Conflicts and Conspiracies: Brazil & Portugal 1750-1808 (Cambridge University Press, 1973. Publicou, posteriormente, Marquês de Pombal - Paradoxo do Iluminismo (1996) e A Construção da Democracia em Portugal (1999). A sua obra mais recente é Naked Tropics: Essays on Empire and Other Rogues (2003).

Foi professor nas universidades Yale, Princeton e Columbia e diretor do Programa de América Latina do Council on Foreign Relations, entre 1989 e 2004 de Nova York. Em maio de 2004 renunciou ao seu cargo após ter criticado Henry Kissinger em uma resenha de livro sobre o golpe de Estado de Augusto Pinochet em 1973 e de não ter tido uma resposta publicada na revista Foreign Affairs.

É diretor do programa de Estudos Brasileiros na Universidade de Harvard, do Centro David Rockefeller para Estudos Latinoamericanos, da Universidade de Harvard (EUA). Escreve às quintas-feiras na página A2 da Folha de São Paulo.

 

 

Atualizado em abril/2013 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/

http://www.folhapress.com.br/web/galeria/colunista.php?cd_galr=193

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)