APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Marli Olmos

Marli Olmos

Repórter especial na cobertura do mercado automotivo, está no jornal Valor Econômico desde o ano 2000. Antes, passou perto de 13 anos nas redações do Grupo Estado. É uma da jornalistas mais admiradas da Imprensa Automotiva, da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças e da Imprensa em geral.

Marli Olmos nasceu em São Caetano do Sul (SP), formou-se em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), em São Bernardo do Campo (SP), em 1983.
 
Começou a carreira como repórter no Diário do Grande ABC, em Santo André (SP), de onde saiu para chefiar a equipe de repórteres na sucursal do ABC do jornal O Estado de S.Paulo (SP). Foi também repórter de Economia e editora de Serviços Online da Agência Estado. Permaneceu no grupo por quase 13 anos.
 
Passou a atuar, desde o lançamento, do jornal Valor Econômico, em maio do ano 2000, como repórter especial. Seus textos também podem ser lidos na edição online do Valor e no serviço de tempo real, o Valor PRO.
 
Especializada na cobertura da indústria automobilística, ganhou o Prêmio Icatu (Seguros) de Jornalismo Econômico 2001 com a reportagem que antecipou um defeito no modelo Corsa, da GM e que provocou o maior recall da história do setor.
 
Conquistou, em seguida o Prêmio SAE Brasil de Jornalismo 2007, organizado pela Associação Brasileira de Engenheiros da Mobilidade, com a reportagem A arte de desmontar os carros concorrentes, e o Prêmio Abipet 2009, da Associação Brasileira de Indústria de PET, na categoria Reportagem Ambiental, com Bettina Barros, pela matéria Piso dos carros brasileiros já é 100% PET, que incluiu aprofundada pesquisa e levantamento de fontes. Fez parte da Comissão de Seleção dos trabalhos de Mídia Impressa do Prêmio Esso de Jornalismo 2013, representando o Valor Econômico.
 
Tornou-se correspondente do jornal em Buenos Aires (Argentina), em janeiro de 2014, após mais uma movimentação interna no Valor Econômico. Em março de 2014, explorou em um dos seus textos a baixa competitividade da indústria automobilística brasileira, a crescente dependência do mercado argentino, os obstáculos criados pelo governo da então presidente Cristina Kirchner e os benefícios de uma possível nova linha de financiamento. De lá noticiou ainda a morte do ator Alfredo Alcón (1930-2014), considerado um dos grandes atores da história da dramaturgia do país.
 
Voltou para a redação de São Paulo em julho de 2016, reassumindo a cobertura do mercado automotivo.
 
Foi eleita no Top 50 entre os +Admirados Jornalistas Brasileiros 2014, os +Admirados da Imprensa Automotiva 2015 e os +Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças 2016, premiações de iniciativa do J&Cia, em parceria com a Maxpress.
 
 
Atualizado em novembro de 2016
 
Fontes:

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)