APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Milton Saldanha

Milton Saldanha

Idealizador do jornal Dance, onde é editor e jornalista responsável, é autor de livros relacionados ao tema da dança de salão. Trabalhou na grande imprensa em Porto Alegre e em São Paulo, onde vive desde 1969

Milton Saldanha nasceu em São Luiz Gonzaga (RS), em 29 de julho de 1945. Filho de um oficial do Exército, morou e estudou em diferentes cidades do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. Vive em São Paulo (SP) desde 1969.
 
Começou no Jornalismo em Santa Maria (RS), aos 17 anos de idade. Trabalhou na grande imprensa de Porto Alegre (RS) e de São Paulo (SP). Foi repórter e exerceu cargos de chefia em alguns dos principais veículos do País, como a Rede Globo, os jornais O Estado de S.Paulo (SP) e Jornal da Tarde (SP), o Diário do Grande ABC (SP), a revista Motor 3 (SP), a Folha da Manhã (RS) e outros. Foi repórter em Última Hora (SP), trabalhando com Samuel Wainer. Já assinou artigos e reportagens em mais de uma centena de publicações de todo o Brasil.
 
Trabalhou também em assessoria de imprensa, para empresas e entidades públicas, como Ford Brasil, Conselho Regional de Economia e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Um ano antes de se aposentar, em 1994, quando era editor-chefe do Jornal do Economista, em São Paulo, fundou o jornal Dance, voltado para o público interessado em dança de salão. Em 2006, o jornal que circulava apenas em São Paulo e no Grande ABC também ganhou uma edição para Campinas (SP).
 
Desde que foi criado, o jornal se firmou pela qualidade da cobertura dos eventos relativos à dança de salão e também pela parceria com a Costa Cruzeiros. Anualmente, o veículo cobre o evento Dançando a bordo, que reúne dançarinos e professores em aulas a bordo dos cruzeiros da empresa.
 
Tem dois livros publicados com o patrocínio da Costa Cruzeiros: As 3 Vidas de Jaime Arôxa (Senac/RJ, 2007) relata a vida do dançarino pernambucano que se tornou conhecido no Brasil e no exterior por seus cursos de danças de salão e assessoria a programas e novelas de televisão; e Maria Antonietta, a Dama da Gafieira (Phorte, 2010) reúne depoimentos sobre a mestra de dança dos salões cariocas, que morreu aos 82 anos em 7 de abril de 2009. Como cronista, participou da antologia Porto Alegre, Ontem e Hoje (Movimento, 1971). Também assinou orelhas de diversos livros de autores brasileiros sobre dança e música.
 
Lançou ainda O País Transtornado (Movimento, 2012), em que conta de maneira informal a história do Brasil dos últimos 60 anos. A obra é resultado da própria vivência do autor, aliada às suas observações de repórter. Entre outros temas, ele aborda em detalhes como foi sua prisão durante a ditadura militar e como era por dentro o Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi). Trabalha em novos projetos editoriais, como o livro Periferia da História, ainda inédito, no qual conta de memória 45 anos da história recente do Brasil. Para outro projeto em andamento, a dança é tema de uma coletânea com os melhores editoriais publicados no jornal Dance.
 
Tem por hobby e paixão dançar tango e viajar.
 
 
Atualizado em janeiro/2014 - Portal dos Jornalistas
Fontes:
www.jornaldance.com.br
J&Cia Edição 868, de 17 a 24 outubro/2012
 

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)