APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Ricardo França

Ricardo França

Professor e poeta, alia preocupações culturais e acadêmicas a um fino faro investigativo em matérias de cunho social

Ricardo França é formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Gama Filho, em 1992. No início da carreira, trabalhou na assessoria de imprensa da Superintendência de Esportes do Estado do Rio de Janeiro (Suderj), entre 1989 e 1991.

Ingressou em 1992, como repórter da madrugada, no jornal O Dia (RJ). Cobriu casos de repercussão, como o assassinato da atriz Daniela Perez (28/12/1992) e as chacinas da Candelária (23/7/1993) e de Vigário Geral (29/8/1993). Conquistou, em 1997, o Prêmio Internacional de Reportagem Bartolome Mitre, da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP-Miami), na categoria Direitos Humanos, com a série de reportagens investigativas Nota 10 em Violência, que denunciava o tráfico de drogas nas escolas do Rio. A reportagem foi considerada a melhor contribuição da Imprensa nas Américas no combate ao narcotráfico.

No jornal, onde trabalhou até 1999, alçou o cargo de repórter especial. Nesse ano, recebeu moção da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro pela relevante contribuição à sociedade como poeta e jornalista, e foi finalista do 2º Prêmio Jornalistas & Cia/Hsbc de Imprensa e Sustentabilidade 2011, pelo eixo Rio-SP, na categoria Jornal, com a série de reportagens O Peixe chegou. E agora?, sobre os impactos do Polo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí (RJ).

Foi assessor de comunicação social do Departamento de Marketing do Centro Universitário Serra dos Órgãos (RJ), e editor do Jornal da Feso (Federação Educacional Serra dos Órgãos), entre julho de 2000 e maio de 2002. Em 2001, também trabalhou como assessor de imprensa do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj/RJ) e foi editor do jornal Plantão Hupe.

De janeiro de 2007 a fevereiro de 2010, foi assessor de imprensa da Secretaria de Estado de Segurança e redator dos sites Seseg e UPP Repórter, da Unidade Policial Pacificadora. Na televisão, trabalhou como coordenador de produção e pauteiro pleno da Intertv Serra + Mar (RJ), em Nova Friburgo (RJ), e Intertv Planície (RJ), em Campos dos Goytacazes (RJ), afiliadas da Rede Globo, entre 2004 e 2005. Foi repórter e roteirista do programa Documento Especial, da TV Bandeirantes (RJ), contratado pela produtora Comunicação Alternativa-RJ, do jornalista Nelson Hoianeff.

Especialista em Telejornalismo pela Universidade Estácio de Sá (RJ), de julho de 2002 a julho de 2010, foi professor das matérias Assessoria de Imprensa, Técnicas de Reportagem, Redação I, Técnicas de Entrevista e Pesquisa, Introdução às Profissões, Projeto Experimental I e Projeto Experimental IV. Na universidade, exerceu, ainda, os cargos de coordenador de Jornalismo do Núcleo Prático de Comunicação (Nucom) do campus Madureira (2005 a 2009). Foi editor docente da Agência de Notícias Experimental Zunido e do Blog Jiló Press. No campus Nova Friburgo, exerceu o cargo de supervisor de operações do Núcleo Prático de Comunicação Social e coordenador docente de Mídia Impressa.

Em dezembro de 2004, obteve o primeiro lugar no 21º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo, com a série de reportagens Sexo & Cia – O mercado do prazer em Nova Friburgo, de 31 capítulos, publicada no jornal A Voz da Serra (RJ), como professor orientador da Universidade Estácio de Sá. O prêmio é concedido pelo Movimento de Justiça e Direitos Humanos (Mjdh) e Ordem dos Advogados do Brasil, seccional do Rio Grande do Sul (OAB/RS), com o apoio da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio Grande do Sul (Arfoc/RS) e da Arfoc/Brasil, com o apoio da Secretaria Regional Latino Americana da União Internacional dos Trabalhadores na Alimentação, Agricultura e Afins (Uita). No mesmo ano recebeu moção da Câmara de Vereadores de Nova Friburgo, pela relevância social da mesma série de reportagens acadêmicas.

Como poeta, em abril de 2004 obteve o 3º Lugar no 1º Concurso Nacional de Poesia para Jornalistas, com a obra O Poema que Morreu. Evento promovido pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, patrocinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), com apoio da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e da Academia Brasileira de Letras (ABL).  É diretor cultural da Sociedade Carnavalesca Embaixadores da Folia da Cidade Maravilhosa (RJ). Além disso, é idealizador do PoÊterÊ e do PoÊtisÁ, festivais de poesia de Teresópolis/RJ e Nova Friburgo/RJ, respectivamente.

Atualmente, é editor-chefe do jornal O São Gonçalo (RJ), veículo ligado à Fundação Universidade Salgado de Oliveira (Universo), em São Gonçalo (RJ).


Atualizado pelo Portal dos Jornalistas /outubro de 2011.

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)