APOIO

PUBLICIDADE

Veiculação Prêmio CNHI WEBER SHANDWICK Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Silio Boccanera

Silio Boccanera

Trabalha como correspondente internacional desde 1975. Passou pelas redações do Jornal do Brasil e das tevês Globo, SBT e GNT. Participou de grandes coberturas em sua carreira, sendo a mais memorável a da queda do muro de Berlim, em 1989. Escreve para O Globo e faz comentários em programas da GloboNews

Silio Boccanera nasceu em 6 de setembro de 1947, no Rio de Janeiro (RJ). É jornalista formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ufrj/RJ) e pós-graduado pela Universidade da Califórnia do Sul (EUA).

Começou a carreira como repórter do Suplemento Cultural (Caderno B) e redator do Departamento de Pesquisa do Jornal do Brasil (RJ), em 1970. Em 1975, ganhou uma bolsa de mestrado e mudou-se para os Estados Unidos, onde foi correspondente internacional do jornal em Los Angeles – cobrindo também a América Central – e em Washington.

Transferiu-se para a TV Globo em 1982, para atuar como correspondente na Europa, baseado em Londres (Inglaterra), ao lado dos jornalistas Roberto Feith, Ricardo Pereira, Luiz Fernando Silva Pinto e Beth Lima e dos repórteres cinematográficos Benevides Neto, José Wilson, Luís Demétrio Furquim, Sergio Gilz e Paulo Pimentel – com este, faz dobradinha até hoje. Além do continente europeu, cobriu também a África e o Oriente Médio nos 14 anos que ficou na emissora.

Teve uma curta passagem pelo Departamento de Jornalismo do SBT, entre 1995 e 1996, exercendo a mesma função, ainda partindo de Londres. Retornou depois à Rede Globo, fazendo reportagens para o programa mensal Revista Europa, transmitido pelo canal a cabo GNT-Globosat. Escreve uma coluna semanal sobre a Europa para o jornal O Globo (RJ), distribuído pela agência Alô para dez outros jornais brasileiros, e faz participações nos programas Milênio, de entrevistas, e Sem Fronteiras, de debates, ambos na GloboNews, onde está desde 2002. Contribui, também, ocasionalmente para outros programas da emissora, como o Starte e o quadro Olhar do Jornal das Dez.

Participou de importantes coberturas, como: a luta armada na América Central, as guerras do Líbano, dos Bálcãs e do Golfo, o primeiro título internacional de Ayrton Senna (na Fórmula 3), o esfacelamento do regime soviético, a eleição de Barack Obama e os recentes distúrbios organizados por jovens nos subúrbios de Londres. A mais famosa delas, porém, foi a da derrubada do Muro de Berlim, no dia 9 de novembro de 1989. Os telespectadores do Jornal Nacional, então, viram as imagens de Paulo Pimentel mostrando Silio, de microfone em punho sobre o muro, ao lado de uma multidão eufórica que destruía a marretadas o símbolo da divisão entre as Europas Ocidental e Oriental e assinalava o final da Guerra Fria.

“Poucas vezes é possível testemunhar um acontecimento e ter certeza que a história com H maiúsculo está sendo escrita diante de seus próprios olhos. Este, certamente, é um desses momentos. Em ritmo de batucada, de alegria, as pessoas estão aqui comemorando a abertura do Muro de Berlim”, disse ele, na reportagem. Vinte anos depois, em 2009, voltou ao tema no documentário O Muro de Berlim – Fuga para a liberdade, exibido pelo GNT.

Entre outras, produziu entrevistas de destaque com o beatle George Harrison, a ambientalista Gro Brundtland, os historiadores Eric Hobsbawn, Tariq Ramadan e Ilan Pappé, a cantora Cesária Évora, o cientista Richard Dawkins, o cineasta Claude Lanzmann, o escritor Salman Rushdie e o jornalista John Micklethwait.

Escreveu e publicou dois livros: o livro-reportagem A Revolução da Nicarágua (Mil e Novecentos, 1979) e o romance Jogo Duplo (Moderna, 1997), no qual aproveitou para confrontar eticamente o jornalismo objetivo com a notícia como espetáculo. Traduziu Herô, de Melvin Burgess (Moderna, 1998) e Frio Como Pedra, de Robert Swindells (Moderna, 1998). Participou de Grandes Entrevistas do Milênio: O olhar de grandes pensadores (Globo, 2009), organizado por Manuel da Costa Pinto.

Continua morando na capital inglesa. Não gostava muito do personagem Túlio Bocanegra, interpretado por Chico Anysio no quadro Jornal do Lobo – paródia do Jornal Nacional –, do programa Chico Total.

 
 

 
Atualizado em julho de 2012 - Portal dos Jornalistas
Fontes:
Arquivo Jornalistas&Cia

Fiat_Institucional
Arama
Curso para Jornalistas
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)