APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Sílvio Ribas

Sílvio Ribas

Assessor de Imprensa do Senado Federal, passou pelas redações do Diário do Comércio, Gazeta Mercantil, Correio Braziliense, Estado de Minas, A Tarde e Brasil Econômico.

Sílvio César Ribas de Souza nasceu em Curvelo (MG), em 16 de dezembro de 1969. É graduado em Jornalismo, desde 1991, pela Pontifícia Universidade Cayólica de Minas Gerais (PucMinas), de Belo Horizonte (MG).
 
Começou a carreira mesmo antes de se formar, em 1990, trabalhando como assessor de Imprensa do Sindicato dos Previdenciários de Minas Gerais, onde permaneceu até 1993. Foi também assessor do Hospital João XXIII, em 1994. Iniciou-se na grande imprensa atuando como repórter no Diário do Comércio (MG), logo tornando-se repórter especial, cargo que ocupou até 1995. Pelo jornal, venceu o Prêmio Caixa Econômica Federal de Jornalismo 1994.
 
Seguiu para a Gazeta Mercantil (SP) ainda em 1995, atuando em Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo. Ocupou, no jornal, as funções de repórter, chefe de sucursal e editor em Santa Catarina, passando pelas editorias de Opinião, Internacional, Turismo, Pequenas Empresas, Ciência & Tecnologia, Revistas, Relatórios e Publicações Especiais. Participou, no período, das coberturas do Encontro das Américas (1997) – maior evento organizado pela diplomacia brasileira –, de três congressos internacionais sobre siderurgia em Brasília e no Rio de Janeiro (RJ), da ameaça de golpe no Paraguai (em 1999) e de seminário sobre Nova Economia (Internet & Society 2000), em Boston (EUA). Recebeu Menção Especial do Júri na disputa do Prêmio CNH de Jornalismo Econômico 1997, pelo conjunto de matérias apresentadas no certame, além do Abic de Jornalismo 1997, patrocinado pela Associação Brasileira da Indústria de Café, e do Prêmio Fiesc 1999, da Federação das Indústrias de Santa Catarina. Deixou a GzM em 2001.
 
Em 2002, seguiu como assessor de Imprensa para a Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), pela agência RP1 Comunicação (MG). De 2002 a 2007, foi editor-assistente de Economia no Estado de Minas (MG). Atuou também na coordenação de pautas do jornal, onde assinou a coluna de opinião Momento Econômico, além de ter participado como coordenador editorial do suplemento anual Maiores de Minas, principal ranking corporativo do Estado, com 300 empresas destacadas.
 
Em 2007, foi para Brasília (DF), como repórter especial e correspondente de A Tarde (BA) e de A Tarde FM (BA), permanecendo no posto por um ano. Em 2009, ocupou o cargo de editor corporativo do Correio Braziliense (DF), primeiro gestor da editoria corporativa do jornal, dedicada ao intercâmbio de conteúdos editoriais dos Diários Associados, tendo o Jornal Commercio (RJ) como teste.  Entre 2008 e 2009, desempenhou também a função de assessor de Imprensa da Comissão Executiva Nacional do PArtido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Foi o primeiro correspondente em Brasília do jornal e portal Brasil Econômico (RJ), entre 2009 e 2010.
 
Voltou ao Correio Braziliense em 2011, atuando como repórter de Economia. Participou da cobertura do encontro de líderes do G-20, em novembro de 2011, realizado em Cannes (França), da maior Feira Mundial de Aquicultura, a Aquanor 2011, na Noruega, e de relevantes decisões no Congresso Nacional e no Supremo Tribunal Federal.
 
Venceu diversas premiações por matérias publicadas nessa segunda passagem pelo CB: o Prêmio Imprensa Embratel 2011, na categoria Reportagem Econômica, junto com Vicente Nunes, Luciano Pires, Rosana Hessel, Vera Batista, Márcio Pacelli, Cristiane Bonfanti, Vânia Cristino, Liana Verdini, Gabriel Caprioli, Gustavo Henrique Braga, Victor Martins, Rosa Falcão, Fernando Braga, Mirella Falcão, Ricardo Allan e Jorge Freitas, pela série A nova ordem global; o Prêmio Fraterno Vieira de Jornalismo 2012, da Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam); o Prêmio Andef de Jornalismo 2013, na categoria Jornal, junto com Antonio Temóteo, pela série de reportagens Celeiro do Mundo; o Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo 2013, na categoria Mídia Impressa Nacional e Regional, com a reportagem Seguro de carro usado é muito caro e nem sempre vale a pena; o Prêmio Exxonmobil de Informação Econômica 2015, com Vicente Nunes, Rosana Hessel, Antonio Temóteo, Deco Bancillon, Diego Amorim, Bárbara Nascimento, Simone Kafruni e Ana Paula Lisboa, com o trabalho O Brasil cai na real, e dois prêmios CNI de Jornalismo 2015, nas categorias Destaque Regional/Centro-Oeste e Jornal Impresso, com, respectivamente, as reportagens Indústria Cabocla - O ronco dos motores revoluciona o campo e com a série O Valor do Conhecimento, assinada com Bárbara Nascimento. Deixou o jornal em 2014.
 
Em março de 2015, assumiu o cargo de assessor de Imprensa do Senado Federal.
 
Colaborou esporadicamente em edições das revistas Mundo dos Super-Heróis (SP), da Editora Europa, especializada em histórias em quadrinhos, e Pequi Magazine, com circulação no norte de Minas Gerais.
 
Figurou entre o Top 10 dos +Premiados Jornalistas 2015/Centro Oeste, ranking apurado pelo J&Cia e a Maxpress.
 
É autor do livro Dicionário do Morcego (Flama Editorial, 2005), mais completo guia em português sobre o personagem Batman. Colaborou com os livros-reportagens Formação & Informação Econômica (Summus, 2006), organizada por Sergio Vilas Boas, e Vida Brasileira: Reportagens Sobre o Brasil Produtivo (Lazuli, 1998), organizado por Garibaldi Otávio. Participou, ainda, da antologia Sombras (Ideias Bizarras, 2007).
 
Além disso, é ilustrador, ativista cultural e autor dos blogs Vendo Ideais, Dicionário do Morcego, Vi em Viagem e Geração Atari, todos alocados no portal Blogger, desde maio de 2008.
 
 
Atualizado em setembro de 2016
 
Fontes:

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)