APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Suely Caldas

Suely Caldas

Especializada em jornalismo econômico, é colunista do Estadão no Rio de Janeiro e professora de Jornalismo da PUC/Rio. Traz na bagagem dois prêmios Esso.

Maria Suely Monteiro Caldas, a Suely Caldas do Estadão, nasceu em 1945 em Belém/PA. É bacharel em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Formou-se em 1972.

Sua vida profissional veio antes da acadêmica. Em 1965 começou a trabalhar num banco, onde ficou até 1967. Já morando no Rio de Janeiro, passou a estagiar no jornal O Globo.

Passou por veículos como O Jornal, pertencente ao grupo de Assis Chateaubriand, pela sucursal carioca da Folha de S. Paulo, pela Gazeta Mercantil, onde ficou por dez anos, pelo O Estado de S. Paulo, além de ter chefiado a editoria de economia do Telenotícias. Ela aponta a Gazeta como sua “grande escola” de jornalismo econômico. Passou ainda por Jornal do Brasil, Exame e Visão.

Fez parte do projeto parceria em cadernos especiais entre O Estado de S.Paulo e O Globo lançados a partir de outubro de 2012. O primeiro de quatro cadernos especiais de economia com temas de impacto sobre o futuro do País, juntos integraram a série Desafios brasileiros. Os cadernos eram acrescidos de análises de colunistas como Celso Ming, José Paulo Kupfer, Rolf Kuntz, Suely Caldas e Ethevaldo Siqueira.

Vencedora de dois prêmios Esso. O primeiro prêmio ESSO de Reportagem veio em 1989, com a matéria O caso BR, que reuniu os jornalistas Ricardo Boechat, Aluízio Maranhão, Suely Caldas e Luiz Guilhermino, da Agência Estado.

Em 1996 ganhou sozinha novo prêmio Esso: Prêmio ESSO de informação econômica, com a matéria Operações fantasmas minaram nacional, publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo.

Ex-presa política nos anos 70, integrou a direção do Comitê Brasileiro pela Anistia. É autora do livro Jornalismo Econômico, lançado pela editora Contexto, em 2003.

Com cinco capítulos, o livro trouxe como objetivo principal mostrar aos acadêmicos de jornalismo ou iniciantes na área, que um texto sobre inflação deve ter a mesma simplicidade, objetividade e clareza do texto que informa aos leitores os fatos do dia a dia. A autora derrubou, assim, dois mitos equivocados sobre o tema. Primeiro, o de que as páginas da editoria de economia das publicações são direcionadas apenas a entendidos sobre o assunto e especialistas da área financeira. Segundo, a ideia de que elas têm que ser necessariamente escritas em linguagem burocrática, enfadonha e, muitas vezes, ininteligível para a maior parte do público leigo em assuntos econômicos.

Lecionou jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio nos anos 80 e onde leciona pela segunda vez. Para ela, é importante fazer com que o conhecimento adquirido ao longo de mais de 30 anos de carreira possa ser transmitido a futuros jornalistas.

Assina a coluna de economia, veiculada aos domingos em O Estado de S.Paulo. Foi, durante alguns anos, diretora da sucursal carioca do jornal. 

 

 

Atualizado em abril/2013 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://www.estadao.com.br/busca/SUELY%20CALDAS

http://cadernosdereportagem.blogspot.com.br/2013/03/22-de-marco-de-2013-por-wesley-prado-e.html

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)