APOIO

PUBLICIDADE

Odebrecht
$('#fade').cycle();
6160

Home >> Perfil

Villas-Bôas Corrêa

Villas-Bôas Corrêa

Decano dos repórteres, cronistas e comentaristas políticos brasileiros, trabalhou nos jornais A Notícia, Diário de Notícias, Tribuna da Imprensa, O Dia, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil, na revista IstoÉ, nas rádios Nacional e Jornal do Brasil, nas tevês Tupi, Manchete e Bandeirantes e manteve um blog na web.

(Rio de Janeiro/RJ, 2 de dezembro de 1923  Rio de Janeiro/RJ, 15 de dezembro de 2016)
 
Luiz Antonio Villas-Bôas Corrêa nasceu no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ), em 2 de dezembro de 1923. Formou-se em Direito pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil, no Rio, em 1947. Foi neto de Luiz de Castro Villas-Bôas e pai de Marcos Sá Corrêa, ambos jornalistas.
 
Na faculdade, escreveu artigos para o jornal A Crítica (RJ) e a revista A Época (RJ), ambos estudantis. Nas férias, colaborava com O Grã-Fino, de Araguari (MG), também feito por estudantes.
 
Formado e saído do Exército, já casado e pai de família, começou a trabalhar como funcionário público, técnico de propaganda alimentar do Serviço de Alimentação da Previdência Social (Saps). Produzia e apresentava o quadro Convidado de Honra num show mensal que lotava o auditório do Saps na Praça da Bandeira, no antigo Distrito Federal. 
 
Passando por problemas financeiros, foi levado pelo sogro, o jornalista Bittencourt de Sá, em outubro de 1948, para escrever pequenas notas policiais – mas também notícias políticas –, no jornal vespertino A Notícia (RJ). O que era uma opção de renda virou profissão. Ficou 30 anos na publicação.
 
Passou também pelo Diário de Notícias (RJ), colaborou na Tribuna da Imprensa (RJ), trabalhou no matutino O Dia (RJ) – onde criou os famosos Comandos Parlamentares –, foi chefe da seção Política e diretor da sucursal carioca de O Estado de S.Paulo (SP) – onde ficou 23 anos –, e assinou a coluna Coisas de Política no Jornal do Brasil (RJ), até 2011, quando o jornal deixou de sair impresso.
 
Trabalhou também nas rádios Nacional – no programa Antena Política – e Jornal do Brasil. Foi um dos pioneiros da crônica política na televisão, participando dos programas Jornal de Vanguarda da TV Rio, Abertura da TV Tupi, Jornal da Manchete da TV Manchete e da programação da TV Bandeirantes. Passou também pela revista IstoÉ. Manteve um blog na web – o www.vbcorrea.com.br –, de agosto de 2008 a agosto de 2011.
 
Foi autor dos livros Casos da Fazenda do Retiro (Objetiva, 2001), Palácio Tiradentes: Fiel à Democracia (Alerj, 2002), com Humberto Medeiros, e Conversa com a Memória: A história de meio-século de Jornalismo Público (Objetiva, 2002). Participou também de Os Presidenciáveis: Quem É Quem na Maratona do Planalto (Retour, 1983), com vários autores, e O Brasil Tem Jeito? Volume 2: Educação, Saúde, Justiça e Segurança (Zahar, 2007), organizado por Arthur Ituassu e Rodrigo de Almeida, e foi coordenador de O País Que Nós Queremos: Constituinte, Roteiro do Futuro (Salamandra, 1985). Foi, ainda, protagonista da fotobiografia Villas-Bôas Corrêa (Memória Visual, 2008), que traz textos de seus filhos Marcos e Marcelo Sá Corrêa.
 
Faleceu no Hospital São Lucas, no Rio de Janeiro, em 15 de dezembro de 2016, por falência múltipla de órgãos. Considerava-se o “último sobrevivente da geração que cunhou o modelo de reportagem política que ainda hoje se pratica” no Brasil.
 
 
Atualizado em dezembro de 2016
 
Fontes:

Fiat_Institucional
Newswire
OPN Eventos
MT Viagens
Mais Premiados
Comunique-se
Doe Agora (Abrinq)